handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
BLOG EDUCATIVO

A proposta deste blog é aproximar o público do cotidiano do Núcleo Educativo MIS com uma linguagem fluída e acessível. Cada educador tem liberdade para desenvolver conteúdo abordando suas pesquisas, visitas e atividades. Acompanhe!

Relato do educador

Vamos falar sobre retrato e autorretrato?

Postado em 16 de outubro de 2019

Uma das formas mais antigas de registrar a imagem de uma pessoa é por meio do retrato, seja através da pintura, da escultura ou da fotografia. A exposição FotoMIS, que ficou em cartaz de agosto a outubro de 2019, apresentou o trabalho de três fotógrafos que recorrem a esse modo de registro: Luciano Candisani, João Farkas e Pierre Verger. Mas, o que faz com que uma foto seja considerada um retrato?

  • Retrato:

          Quando o artista registra a imagem de outra pessoa ou de um grupo. As imagens geralmente dão destaque ao rosto, mas também encontramos retratos de corpo todo.

  • Autorretrato:

            Quando o artista registra sua própria imagem, essa busca pela autoimagem foi modificando-se no decorrer do tempo. Atualmente, a selfie é uma boa maneira de explicar o autorretrato, pois facilita a compreensão.

Em ambos os casos, o artista mostra a personalidade, a época e sua maneira de ver a arte e o mundo.

Você deva estar se perguntando: “Ok, encontro em várias linguagens, mas por meio de qual delas começou? Em que período?”. É difícil responder todas essas questões, pois as primeiras pinturas que conhecemos são as conhecidas como arte rupestre, mas é possível localizar o auge do retrato e autorretrato no Renascimento.

No Renascimento (por volta do século XV ao XVI), o retrato e o autorretrato tornaram-se popular. Ao contrário da era medieval, extremamente religiosa, o ser humano tornou-se o centro das preocupações, o Teocentrismo deu lugar ao Antropocentrismo. Como a fotografia ainda não existia, pintores eram contratados para registrar os rostos e corpos de pessoas importantes. Por isso, encontramos muitas pinturas de reis e integrantes do clero, pessoas de poderes na época.

A fotografia

Por volta do ano 1800, alguns inventores surgiram com ideias de capturar imagens sem que fosse preciso pintá-las. Joseph Nicéphore Niépce, em 1793, foi uma das primeiras pessoas a conseguir “imprimir” a luz em uma superfície sem usar qualquer tipo de tinta, porém as imagens desapareciam depois de um tempo. Ele usava uma câmara obscura, parecida com o que conhecemos hoje por pinhole.

Até então as imagens produzidas eram de lugares, objetos, pois a maior dificuldade, na época, era ajustar o tempo da placa exposta à luz, pois, quanto mais tempo ficava exposta, mais escura a imagem se tornava. Para isso não acontecer mais, foram necessários vários testes, por vários estudiosos. Somente em 1839 foi produzido o primeiro autorretrato por Robert Cornelius.

Este texto é um breve parêntese sobre a técnica e propõe uma reflexão: notarmos como uma técnica antiga ainda persiste nos dias atuais, mas com  a diferença principal de a nomearmos "selfie", e não autorretrato.

Por Carolina Pelizzuda

Créditos imagem: Autorretrato de Robert Cornelius: A primeira “Selfie” (1839) do mundo.

MAIS LIDAS