handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
BLOG EDUCATIVO

A proposta deste blog é aproximar o público do cotidiano do Núcleo Educativo MIS com uma linguagem fluída e acessível. Cada educador tem liberdade para desenvolver conteúdo abordando suas pesquisas, visitas e atividades. Acompanhe!

Quadrinhos

Marcelo D’Salete e uma história da pequena Angola

Postado em 11 de março de 2019

Em 2017, o professor, quadrinista e pesquisador de arte afro brasileira, Marcelo D’Salete, publicou o quadrinho Angola Janga, que conta a história do Quilombo dos Palmares, que resistiu por mais de um século e, em seu auge, chegou a contar com quase vinte mil habitantes.

O quadrinho apresenta uma ficção baseada em fatos reais com um ponto de vista a partir dos palmaristas, que viviam em Angola Janga. Os conflitos ocorridos entre os escravos fugitivos e os militares e colonizadores são elemento central do livro.

Alguns dos personagens presentes são históricos, como Zumbi e Antônio Soares, e outros foram criados a partir junção de pequenos fragmentos que o autor foi encontrando em seus estudos. O interessante é perceber que a história não ficou concentrada em Zumbi, mas nesse conjunto de pessoas que participaram do combate.

Os capítulos são abertos com trechos de documentos referentes ao assunto que será abordado, e, por esses arquivos terem sido redigidos por pessoas que queriam o fim do quilombo, traziam mais descrições geográficas da área, registros dos enfrentamentos e poucos aspectos relacionados às questões culturais do grupo. Para suprir essa lacuna, Marcelo recorreu à pesquisa sobre os povos de língua umbundu e kimbundu (Angola e Congo). Durante onze anos, Marcelo vasculhou documentos históricos, explorou o acervo do Museu Afro Brasil e visitou o Parque Memorial Quilombo dos Palmares. O resultado da pesquisa se apresenta de maneiras múltiplas no livro. Além da presença dos trechos dos documentos no início dos capítulos, o volume traz mapas, glossário, uma cronologia de Palmares e referências bibliográficas.

Para contar sua história, o autor introduz de maneira direta, sem notas de rodapé, diversas palavras, personagens e símbolos, desconhecidos para muitos. Esse aspecto do quadrinho pode ser muito rico no processo da leitura, pois incentiva o leitor à pesquisa. No percurso da narrativa, é necessário descobrir o que é calunga, malungo, missongo, picada, mocambo, guando, massango e tumbeiro, por exemplo. Parar a leitura para encontrar os significados dessas palavras pode acabar levando o leitor para outros lugares correlacionados, ampliando a percepção sobre Palmares e sobre a cultura e línguas faladas no Quilombo. Há um glossário no final do livro com muitas dessas palavras, mas não uma referência direta a ele ao longo do texto. Imaginamos que essa escolha pode ter sido proposital, pois o fato de não ter essa resposta rápida enriqueceu a leitura de Angola Janga.

Fotografias do Parque Memorial Quilombo dos Palmares e desenhos de D’Salete.

O traço do Marcelo é original; o desenhista deixa de lado os recursos digitais e apresenta uma linha autêntica e precisa. A fauna e a flora são apresentadas de maneira singular. Chama a atenção as nuvens, o mar, os insetos, os penteados, os traços dos rostos dos personagens, os acessórios, as marcas nos corpos. Os quadros pedem tempo para serem vistos de perto, com atenção. A grande quantidade de momentos silenciosos evidencia o convite para a contemplação do desenho.

Em 2018, o quadrinho entrou no Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), que disponibiliza obras didáticas, pedagógicas e literárias em escolas públicas de educação básica das redes federal, estadual e municipal e a outras instituições do poder público, expandindo, assim, o alcance do trabalho.

MAIS LIDAS