handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

O programa Notas Contemporâneas do MIS, que registra depoimentos de importantes nomes do cenário musical brasileiro, convida para a edição de maio a cantora Martinha, proeminente nome da Jovem Guarda. A entrevista ao vivo é comandada pelo músico e pesquisador Cacá Machado e acompanhada da Banda MIS com releituras de grandes sucessos da carreira da homenageada, como Eu te amo mesmo assim e Eu daria a minha vida.

O encontro acontece no dia 15 de maio, quarta, no Auditório MIS (172 lugares). O ingresso, gratuito, deve ser retirado com 1h de antecedência na bilheteria do Museu.

Sobre a artista
Martha Vieira Figueiredo Cunha – Martinha – sempre foi uma artista. Martinha ganhou reconhecimento após um encontro com Roberto Carlos, que iria se apresentar em Belo Horizonte. Por intermédio de um divulgador do artista, Dona Ruth, sua mãe, conseguiu marcar um encontro para que Roberto ouvisse Martinha. Depois da emoção do encontro, Roberto ouviu Martinha e, imediatamente a convidou para ir a São Paulo e se apresentar no “Jovem Guarda”. Martinha ganhou o apelido consagrado, dado pelo Roberto – O Queijinho de Minas – e experimentou a fama tão logo pisou o palco do Teatro Record, cantando Barra Limpa, uma canção sua dedicada a Roberto Carlos. Com o público fiel, ao longo de mais de trinta anos de carreira, continua embalando corações com sua voz e buscando priorizar sua carreira como compositora, através de ídolos como Zezé Di Camargo (carreira solo), Dalvan, João Mineiro e Marciano, Mato Grosso e Mathias, Gilliard, Fafá de Belém, Fábio Jr., Chrystian e Ralf, Roberta Miranda, Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Xororó e outros.

Sobre o Programa Notas Contemporâneas
O projeto mensal do MIS registra depoimentos de compositores e intérpretes icônicos da música popular brasileira. O programa se divide em duas etapas: a primeira é composta de um longo depoimento realizado em estúdio, que passa a integrar o acervo do MIS; a segunda é ao vivo no palco do auditório do museu, com mediação do músico e historiador Cacá Machado com a Banda MIS, que faz releituras inéditas e exclusivas dos maiores sucessos do homenageado. A entrada é livre e os fãs dos artistas muito bem-vindos, o público pode participar fazendo perguntas que serão selecionadas pelo museu e, assim, integram o roteiro da noite.

Galeria de Fotos