handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

Em outubro, o programa Notas Contemporâneas do MIS, que registra depoimentos de importantes nomes do cenário musical brasileiro, convida a cantora e compositora Ná Ozzetti. A artista, que completa 40 anos de carreira em 2019, participa de uma entrevista ao vivo, comandada pelo músico e pesquisador Cacá Machado, enquanto a Banda MIS realiza, no palco, releituras de seus grandes sucessos.

O encontro acontece no dia 9 de outubro, quarta, no Auditório MIS (172 lugares), às 20h. O ingresso, gratuito, deve ser retirado com 1h de antecedência na bilheteria do Museu.

Sobre o Programa Notas Contemporâneas

O projeto mensal do MIS registra depoimentos de compositores e intérpretes icônicos da música popular brasileira. O programa se divide em duas etapas: a primeira é composta de um longo depoimento realizado em estúdio, que passa a integrar o acervo do MIS; a segunda é ao vivo no palco do auditório do museu, com mediação do músico e historiador Cacá Machado com a Banda MIS, que faz releituras inéditas e exclusivas dos maiores sucessos do homenageado. A entrada é livre e os fãs dos artistas são muito bem-vindos, podendo, inclusive, fazer perguntas ao homenageado - que serão selecionadas pela equipe do museu para integrar o roteiro do evento.

Sobre a artista

Maria Cristina Ozzetti nasceu em São Paulo no dia 12 de dezembro de 1958. A cantora e compositora iniciou sua carreira em 1979 ao ingressar no grupo Rumo, um dos principais representantes da vanguarda paulista. Com ele gravou cinco discos. Com o seu primeiro disco solo NÁ OZZETTI (Warner/Continental), de 1988, ganhou os prêmios Sharp e Lei Sarney, na categoria "Cantora Revelação". Seu segundo álbum, NÁ (1994), recebeu dois prêmios Sharp, na categoria Pop/Rock, “Melhor Disco” e “Melhor Arranjador” (Dante Ozzetti). Dois anos depois, a convite da gravadora Dabliú, lançou LOVE LEE RITA, homenageando a cantora e compositora Rita Lee. Em 1999, pelo seu próprio selo Ná Records, lançou o elogiado ESTOPIM, reforçando o elo com seus parceiros mais constantes: Luiz Tatit, seu irmão Dante Ozzetti, José Miguel Wisnik e Itamar Assumpção.  No ano seguinte, participou do Festival da Música Brasileira, promovido pela TV Globo, ganhando o prêmio de melhor intérprete. Por conta disto, gravou no ano seguinte, pela Som Livre, o  disco SHOW, gravando clássicos da música brasileira das décadas de 1940 e 50. Em 2005, em parceria com o pianista André Mehmari, lançou PIANO E VOZ (MDC), gravando em 2006 o DVD homônimo, contendo novo repertório. Em BALANGANDÃS (Ná Records/MCD), lançado em 2009, a cantora revisitou alguns clássicos do repertório de Carmen Miranda, ganhando com ele o 5º Prêmio Bravo! Prime de Cultura. Para comemorar seus 30 anos de carreira, Ná lançou, em 2011, seu disco mais autoral, MEU QUINTAL. Deste álbum, sua parceria com Luiz Tatit, “Equilíbrio”, foi indicada na categoria “Melhor Canção Brasileira” no Latin Grammy Awards. Em 2013, após iniciar um produtivo diálogo com alguns nomes da nova cena paulistana, Ná lançou seu décimo álbum EMBALAR (Ná Records/Circus), contando com diversos colaboradores e parceiros, entre eles, Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Tulipa Ruiz. Em 2015, lançou dois discos em parcerias e projetos distintos , NÁ E ZÉ (com o compositor Zé Miguel Wisnik – Circus) e THIAGO FRANÇA (com o grupo paulistano Passo Torto – YB). Em 2019, após 27 anos do lançamento do último disco do Rumo, o grupo lança o disco UNIVERSO pelo Selo SESC. Desde 2008, tem trabalhado em conjunto com os músicos Dante Ozzetti, Mário Manga, Sérgio Reze e Zé Alexandre Carvalho, os quais conceberam e gravaram os discos BALANGANDÃS (2009), MEU QUINTAL (2011), EMBALAR (2013) e o recente show em comemoração aos 60 anos do lançamento do disco CANÇÃO DO AMOR DEMAIS (Elizeth Cardoso canta Tom Jobim e Vinícius de Moraes), encomendado pelo Instituto Moreira Salles em 2018.

Em 2019, para celebrar os 40 anos de carreira artística de Ná, o grupo cria o espetáculo NÁ 40 ANOS DE PALCOS, com direção de Carla Candiotto e cenário de Marco Lima. Em sua trajetória participou de projetos em parceria com outros artistas em apresentações com Zé Miguel Wisnik, Itamar Assumpção, Luiz Tatit, Zélia Duncan, Mônica Salmaso, Jaques Morelembaum, Arnaldo Antunes, Regina Machado, Lucina, Badi Assad, Juçara Marçal, Orquestra Jazz Sinfônica de SP, Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro (RS) , Orquestra Sinfônica do Paraná, entre outros, participações em diversos discos, trilhas para cinema, ballet, etc.

Galeria de Fotos