handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!

Linha do tempo

1970
Nasce o MIS

O crítico de cinema Paulo Emílio Sales Gomes discursa na abertura do MIS, criado no governo de Abreu Sodré, em 29 de maio de 1970. Neste núcleo fundador, além de Paulo Emílio, participaram também o jornalista Francisco Luis de Almeida Salles e o professor Rudá de Andrade, que permaneceu no cargo de diretor até 1981.

1971
Tarsila fala sobre a Semana de 1922

Entrevista de Tarsila do Amaral e outros artistas para as comemorações dos 50 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, produzida e gravada pelo MIS na casa da artista na Rua Albuquerque Lins. Tarsila foi entrevistada por Aracy Amaral, Oswald de Andrade Filho, Francisco Luiz de Almeida Salles, Paulo Mendes de Almeida e Maria Eugênia Franco.

1971 – 1975
Projetos de pesquisa

O MIS inicia a formação de seu acervo com uma série de projetos de pesquisa realizados pela equipe do Museu em parceria com universidades e outras instituições, entre eles Vale do Ribeira, Lambe-Lambe, Arte rupestre, Chapada Diamantina e Litoral Sul.

1975
Inauguração da sede do MIS

Em 27 de fevereiro, acontece a inauguração do MIS em sua sede atual, na avenida Europa (na antiga residência do industrial Affonso Giaffone). Para marcar o evento, é inaugurada a primeira exposição do Museu, Memória paulistana.

1981
Fotohistorama

Realização da exposição Fotohistorama, em parceria com o Museu de Fotografia da Agfa- Gevaert, da Alemanha, sobre a história da fotografia. As máquinas fotográficas expostas foram doadas ao MIS pela Agfa, passando a integrar o acervo.

1981
Criação do Programa de História Oral

Abertura de um estúdio destinado à gravação de entrevistas de História Oral. Com coordenação geral de Boris Kossoy, além de Olga Rodrigues de Moraes Von Simson, Ernani Silva Bruno e José Carlos Sebe Bom Meihy na coordenação dos projetos como: Carnaval Paulistano, Cinema Paulista na década de 50 e Estudos Brasileiros..

1982
Exposição Eisenstaedt: Alemanha

Exposição de fotografias do alemão Alfred Eisenstaedt produzidas na Alemanha nos períodos de 1920 a 1930 e 1979 a 1980.

1983
Festival Fotoptica Vídeo Brasil

Primeira edição do Festival Vídeo Brasil — atual Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil —,cujo material é incorporado ao Acervo MIS.

1982 – 1986
Arte holográfica no MIS

O MIS recebe algumas exposições que utilizam a holografia como técnica principal, como as individuais de Moysés Baumstein e José Wagner Garcia e a coletiva Triluz com Augusto de Campos, Décio Pignatari, José Wagner Garcia, Julio Plaza e Moysés Baumstein.

1986
30 anos da TV no Brasil

A exposição 30 anos da TV no Brasil marca a importância dada pelo MIS ao rico patrimônio televisivo do país desde seu surgimento.

1988
Coleção Abraão Berman

Incorporação ao Acervo MIS da Coleção e Fundo Abraão Berman, formado por filmes em Super 8mm selecionados nas diversas edições do Super Festival Nacional/Internacional do Filme Super 8.

1989
Coleção Miécio Caffé

A coleção é formada por mais de 6 mil discos de música popular brasileira e 103 desenhos originais. Miécio Caffé foi um dos maiores colecionadores de música brasileira, além de desenhista e artista gráfico.

1989
Programa de História Oral em vídeo

O programa foi inaugurado com o projeto Memória do Cinema, que registrou entrevistas de diretores, produtores e integrantes de equipes técnicas.

1990
Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo

O MIS sedia o 1º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, com seleção de curtas brasileiros, franceses e alemães.

1991
Bob Gill

O MIS organiza a exposição Bob Gill no Brasil, primeira feita a partir do projeto de artes gráficas do MIS que havia sido criado pouco tempo antes.

1993 – 1994
Prêmio Estímulo de Ensaio Fotográfico

Programa de fomento à produção fotográfica realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Os ensaios selecionados pelo Prêmio foram incorporados ao acervo do Museu, de nomes como Kenji Ota, Rafael Assef, Mauro Restiffe, Roberta Dabdab, Denise Adams, Marie Iwakiri.

1994
Coleção Geraldo de Barros

A Coleção Geraldo de Barros, constituída pelas Fotoformas, por peças gráficas e três obras de artes plásticas, passa a integrar o Acervo MIS. No mesmo ano, é inaugurada a exposição Geraldo de Barros, fotógrafo.

1998
Coleção Alex Vallauri

A Coleção Alex Vallauri, formada por 5 mil diapositivos que documentam sua produção artística, passa a integrar o Acervo do Museu.

2000
Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE)

O MIS sedia a primeira edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE).

2000
Programa MIS de Fotografia

Programa destinado à exposição de fotografias produzidas por fotógrafos amadores e profissionais, que pretendia mostrar um panorama da fotografia brasileira realizada naquele momento.

2000
Mostra Claudia Andujar, Harald Schultz e Albert Frisch

Albert Frisch (1840-c.1905), Harald Schultz (1909-1966) e Claudia Andujar (1931-), três fotógrafos reunidos na mostra com um caráter antropológico, mostrando diversas formas de representação indianista.

2000 – 2006
Continuidade da História Oral

Continuidade dos projetos para a coleta de entrevistas de História Oral, entre eles: Lira Paulistana, Fotografia Brasileira, Memória ADG e Cinema por quem o faz.

2004
Eduardo Salvatore

Primeira retrospectiva deste fotógrafo que foi um dos fundadores do Foto Cine Clube Bandeirante. A exposição Eduardo Salvatore: Uma sensibilidade revelada ‒ Fotografias de 1940 a 1980, com curadoria de Fernando Durão, destaca as quatro primeiras décadas de sua produção sobre a cidade de São Paulo.

2007
Jazz + MIS

Exposição de cartazes criados por Rico Lins para a Orquestra Jazz Sinfônica.

2007
Nova gestão

Por meio de uma parceria público-privada com o Governo do Estado de São Paulo, o MIS passa a ser gerido pela Organização Social de Cultura Associação do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho e inicia reforma para ampliar e adaptar seus espaços às novas mídias e experimentações artísticas.

2008
Reabertura do MIS

Em agosto, o MIS reabre com as exposições Lights Out: proposições fotográficas, com obras de Leung Chi Wo, Sara Chi Hang Wong, Rochelle Costi, Skoltz Kolgen e Whitney Lee, e Arquitetura da associação, na qual os artistas Bill Seaman e Daniel Howe ocupam o Espaço Redondo.

2008 – 2011
Cinema expandido

Nesse período, o Espaço Redondo recebe diversas obras, em especial videoinstalações criadas por importantes artistas nacionais e internacionais, como Bill Seaman e Daniel Howe, Miguel Chevalier, Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti e Ricardo Carioba.

2009
Chris Marker

O MIS apresenta a exposição Chris Marker ‒ Staring Back, com mais de duzentas imagens inéditas no Brasil do acervo pessoal do fotógrafo e cineasta francês.

2009
Pipilotti Rist

O MIS, em parceria com o Paço das Artes, teve seu Espaço Redondo ocupado pelas videoinstalações A Liberty Statue for Löndön e Lobe of the Lung da artista suíça Pipilotti Rist, que exploraram temas como fantasia, sonho, prazer e erotismo.

2010
Gary Hill

Circumstances/Circunstâncias apresenta videoinstalações de Gary Hill, um dos precursores da videoarte mundial. As fotografias de Miguel Rio Branco também marcam presença no MIS, na exposição inédita Maldicidade ‒ marco zero.

2011
Programação ampliada

Nova gestão amplia o escopo da programação do MIS e lança diversos projetos regulares, que englobam artes visuais, cinema, música, dança e programação infantil. Em dezembro, amplia seu raio de ação com o programa Pontos MIS, que promove exibição de filmes, oficinas e palestras em cidades do Estado de São Paulo.

2011
Game On

A exposição Game On, originalmente montada pelo Barbican Centre, transforma o MIS em uma zona dinâmica, experimental e interativa.

2012
Maio Fotografia

É lançado o projeto anual Maio Fotografia no MIS, que traz expoentes da fotografia nacional e internacional. Estreia com mostras de André Kértesz, Andy Warhol, Claudio Edinger e Ozualdo Candeias.
Nos anos seguintes, o projeto expõe trabalhos de fotógrafos como Carlos Eber, Chico Albuquerque, Gregory Crewdson, Josef Koudelka, Martin Parr, Mauricio Lima, Valdir Cruz, Vivian Maier, Walter Carvalho e Willy Ronnis.

2012
Georges Méliès

Produzida pela Cinemateca Francesa, a exposição Georges Méliès, o mágico do cinema, revisita, através de seis diferentes seções, a trajetória do artista e suas invenções revolucionárias na Sétima Arte.

2013
Ai Weiwei

Ai Weiwei Interlacing apresenta fotos e vídeos desse artista chinês considerado um dos mais influentes da arte contemporânea.

2013
Stanley Kubrick

O MIS apresenta a exposição Stanley Kubrick, mostra imersiva que exibe mais de 500 itens relacionados à carreira do cineasta norte-americano.

2014
David Bowie

Organizada pelo Victoria and Albert Museum, David Bowie, primeira retrospectiva internacional sobre a carreira do artista britânico, traz para o MIS itens relacionados ao artista, como manuscritos de letras de músicas e figurinos originais.

2014
Castelo Rá-Tim-Bum

Castelo Rá-Tim-Bum ‒ A exposição, mostra idealizada e concebida pela equipe do MIS, recria os cenários do programa da TV Cultura, e se torna o recordista histórico de público com 410 mil visitantes. Neste mesmo ano, o Museu foi o mais visitado do Estado de São Paulo.

2015
Jessica Lange

O MIS recebe a exposição Jessica Lange: fotógrafa, retrospectiva que apresenta as fotografias feitas pela artista entre 1995 e 2015. Na ocasião, Jessica Lange visitou o Museu para a abertura.

2015
François Truffaut

Após ser convidado pela Cinemateca Francesa para apresentar a exposição dedicada à vida e obra do cineasta francês, o MIS inaugura em julho Truffaut: um cineasta apaixonado, com mais de 600 itens, como livros, revistas, objetos pessoais, desenhos e fotos.

2016
Tim Burton

Com curadoria de Jenny He e colaboração da Tim Burton Productions, a exposição O mundo de Tim Burton, originalmente montada pelo MoMA, apresenta as diversas facetas da obra de Burton. O MIS foi a primeira instituição da América Latina a recebê-la.

2016
Silvio Santos vem aí!

Concebida pelo MIS, a exposição Silvio Santos vem aí! conta a trajetória profissional de Silvio Santos e o desenvolvimento do sistema de rádio e televisão brasileiros.

2017
Renato Russo

Com curadoria de André Sturm (ex-diretor do MIS) e cocuradoria de Fabiana Ribeiro, a exposição Renato Russo presta homenagem a um dos maiores ícones da música brasileira. Giuliano Manfredini, único filho do artista, concedeu ao MIS acesso ao apartamento onde o músico viveu, confiando à equipe do museu sua catalogação, conservação e adaptação para a exposição.

2018
Erwin Olaf

Primeira individual do artista multidisciplinar holandês Erwin Olaf no Brasil, Tensão apresenta fotografias e videoinstalações produzidas pelo artista, incluindo a inédita Shanghai (2017).

2018
Alfred Hitchcock

Concebida e desenvolvida pelo MIS e com curadoria de André Sturm, a exposição Hitchcock – Bastidores do suspense traça um panorama da vida e obra do diretor através de mais de 400 itens e uma expografia imersiva.