handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
[CURSO MIS ]

Black Is Beautiful: A história do cinema de horror negro – 2 módulos

INSCREVA-SE

Os filmes de terror sempre contaram histórias de monstros e suas vítimas, de vilões e aqueles a quem tentam subjugar, de opressores e oprimidos. É, portanto, um gênero que toca na empatia da plateia que torce – e sofre, teme, apavorase e suspira em alívio – pelos personagens em perigo, vulneráveis e perseguidos. Nesse sentido, nos filmes de terror os personagens negros – afrodescendentes ou afro-americanos, no caso da produção dos Estados Unidos – têm uma trajetória em que sua presença em cena sempre chama a atenção, nem sempre de maneira digna, mas invariavelmente notável.

Neste curso, abordaremos a presença de pessoas negras em filmes de horror produzidos nos Estados Unidos desde as primeiras décadas até o cenário contemporâneo, pontuando a sensível transformação de personagens estereotipados e caricatos (como as comédias das décadas de 1940, com Mantan Moreland e Willie Best), aos filmes “com negros” (nos quais há pessoas negras em cena, mas sem se aprofundar em sua cultura e seus valores) e filmes “de negros” – quando finalmente o protagonismo se fez relevante e temas como racismo e o papel do negro como protagonista, e não apenas como vítima.

O panorama destacará obras-primas do horror como “A noite dos mortos-vivos” (1968), primeiro filme do gênero com um ator negro encabeçando o elenco; os monstros clássicos reimaginados como ícones black, no movimento Blaxploitation dos anos 1970, e em especial a produção comercial (e autoral) da última década, quando obras de enorme impacto como “Corra!” e “Nós”, de Jordan Peele, propuseram uma reavaliação do papel de afrodescendentes na sociedade e no próprio cinema. Uma tardia – mas muito bem-vinda – normalização da presença na tela de pessoas negras, sejam elas simpáticas, queridas ou monstruosas, mas sempre essencialmente e dignamente negras

Módulo I: Dos primórdios ao blaxploitation — 1920s-1970s

Aula 1 | Estereótipos, exotismo e alívio cômico
- A representação do negro nos primórdios do cinema hollywoodiano
- Religiosidade afro e o horror: do cristianismo ao voodoo
- Cinema feito na raça: as primeiras produções independentes de horror
- Mantan Moreland e Willie Best: o estereótipo do ‘crioulo’ medroso
Aula 2 | Rebeldia, revolução e reinvenção
- “Spider Baby”: o fim de uma era em tempos de luta pelos direitos civis
- “A noite dos mortos-vivos": Ben, o novo herói trágico afro-americano
- “Ganja & Hess”: vampirismo, vício, sexo e suicídio num cult obscuro
- “Sweet Sweetback’s Baadasssss Song”: a revolução do cinema black
Aula 3 | Os monstros canônicos em versão “black”
- “Blacula, o vampiro negro”: a herança maldita do escravagista Drácula
- “Blackentein”: revisitando o laboratório e reinventando o monstro
- “Monstro sem alma”: a versão racial de “O médico e o monstro”
- “A vingança dos mortos”: zumbi haitiano e os mortos-vivos de Sugar Hill
Aula 4 | Religiosidade afro e horrores urbanos
- “Abby”: a mulher selvagem na versão blaxploitation de “O exorcista”
- “Lord Shango”: o trágico conflito entre culturas religiosas opostas
- “The Zebra Killer”: terror brutal inspirado em crimes raciais reais
- “O despertar dos mortos”: o pós-apocalipse dos mortos-vivos

Módulo II: Dos superastros ao cenário atual — 1980s-2020s

Aula 1 | O poder da cultura negra no horror “pop”
- Thriller: o revolucionário horror épico musical de Michael Jackson
- Grace Jones e Eddie Murphy: os novos vampiros negros sedutores
- A negritude de Wes Craven: “A maldição dos mortos-vivos" e outros
- Personagens negros em filmes “slasher” e outros subgêneros
Aula 2 | Uma nova geração de astros negros no horror
- “A noite dos mortos-vivos": uma nova roupagem para o clássico
- “O mistério de Candyman”: Tony Todd e o bicho-papão dos guetos
- “Blade”: Wesley Snipes e outros vilões e anti-heróis negros
- “Os demônios da noite”: a representatividade de Ernest R. Dickerson
Aula 3 | Horror negro dos independentes às superproduções
- Personagens negros no “neo-slasher”: autoconsciência e mea culpa
- “Tales from the Hood”: o novo horror racial produzido por Spike Lee
- “A rainha dos condenados”: o trágico legado de Aaliyah - Denzel Washington, Morgan Freeman, Will Smith e outros superastros
Aula 4 | Protagonismo negro no horror contemporâneo
- “Corra!” e “Nós”: horror com consciência social e racial de Jordan Peele
- “A lenda de Candyman”: revisitando e reimaginando um clássico
- O horror racial cômico em “Vampiros x the Bronx” e outras comédias
- Outros cineastas, astros e estrelas do horror negro contemporâneo

  • Sobre os professoresadd

    Carlos Primati é jornalista, crítico, tradutor e pesquisador, especializado no gênero fantástico, inclusive a cena brasileira do horror e fantasia, desde Zé do Caixão e Ivan Cardoso até a produção contemporânea. Ministrou uma aula magna na mostra de Alfred Hitchcock no CCBB em São Paulo, em 2011, e participou da retrospectiva completa do cineasta em Belo Horizonte, em 2013, com artigos para o catálogo, uma palestra e uma mesa de debate. É organizador, juntamente de Beatriz Saldanha, da antologia “Única”, primeira publicação brasileira dedicada exclusivamente a estudar a obra de Hitchcock.

    Queops Negronski é recifense entusiasta e estudioso do cinema fantástico. Tem artigos nos livros “O melhor do terror dos anos 80”, “O melhor do terror dos anos 90” e “Cinema fantástico brasileiro: 100 filmes essenciais” (ainda em fase de edição); foi curador da Mostra Fantástico Black Power no 11° Cinefantasy, da Mostra Olhar Periférico e do Medonho; fez parte do júri do Festival Boca do Inferno em duas edições seguidas e ministrou junto com Carlos Primati o curso "O Cinema Blaxploitation de Horror" na 12° Mostra Internacional de Cinema Fantástico CRASH. Fez parte do núcleo de criação de Suplicium, série de TV pernambucana em formato de antologia e faz cursos relacionados ao cinema de gênero sempre que possível com profissionais da área de todo o país.

  • Condições dos cursos MISadd

    → Aulas gravadas
    As aulas acontecem on-line, ao vivo (pelo Zoom), e a gravação pode ser acessada por até uma semana após o último encontro, mediante solicitação. Para receber o certificado de conclusão, é necessário estar presente em 75% das aulas ministradas.

    → Cancelamento do curso ou mudança de datas
    Se o número mínimo de inscritos não for alcançado ou por motivos de caso fortuito ou força maior, o curso poderá ser cancelado ou ter datas e horários alterados. Nesse caso, a equipe MIS entrará em contato com todos os inscritos (por e-mail) para passar as informações necessárias.

    → Problemas técnicos
    Caso ocorra algum problema técnico que impeça a realização da aula, entraremos em contato com os alunos por e-mail informando a providência que será tomada em conjunto com o professor e a equipe do MIS.

    → Realização das aulas
    Todas as aulas dos cursos online são realizadas exclusivamente ao vivo, pela plataforma Zoom Cloud Meetings e não ficam gravadas.

    → Cancelamento de matrícula
    Para cancelar sua matrícula e pedir reembolso do valor pago, envie um e-mail com sua solicitação no prazo máximo de até sete dias após a compra. Caso a realização desta compra tenha acontecido em tempo inferior a sete dias do início do curso, o cancelamento fica limitado a 48 horas antes do início do curso
    Se o cancelamento da matrícula for efetuado após os prazos acima indicados, não haverá devolução do valor pago, mas o participante poderá indicar outra pessoa para sua vaga, que gozará dos 100% já pagos.
    Cursos ofertados como combo não concedem o direito de reembolso por módulos após o início do primeiro módulo, já que, após a venda, ela se torna indisponível, impossibilitando que outro interessado faça a compra.

    → Certificado
    Para receber o certificado de participação, é necessário assistir a 75% das aulas ministradas. O certificado será enviado no prazo de até 10 dias úteis para o -email cadastrado no ato da matrícula.

    → Desconto para pessoas a partir de 60 anos
    A pessoa que irá fazer o curso deve ter 60 anos ou mais para ter direito ao desconto de 50% no valor, independentemente da idade da pessoa que adquiriu o curso, caso não seja o próprio aluno que tenha adquirido e feito o pagamento.

    → 10% de desconto após a 1ª compra (cupom MIS10OFF)

    → 30% de desconto na compra do 6º curso. Cursos comprados a partir de junho de 2021 (enviar e-mail para cursos@mis-sp.org.br)

    → Gratuidade na compra do 11º curso. Cursos comprados a partir de junho de 2021

    → 50% de desconto para professores da rede pública de ensino do Estado de São Paulo (enviar e-mail para cursos@mis-sp.org.br com cópia do holerite atual mais documento de identidade. Limitado a 5 vagas por curso)

    Para eventuais dúvidas, escreva para: cursos@mis-sp.org.br

Galeria de Fotos