handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

Oficinas e Palestras

Oficina on-line | A representação de D. Pedro I e da Independência no audiovisual, com Olívia Baldissera

[Oficina]

27, 28 e 29.09, terça a quinta, das 19h às 21h | Ao vivo pelo Sympla Streaming | Inscrição via Sympla | Gratuita | a partir de 12 anos   

(3 encontros de 2 horas cada) 

D. Pedro I é interpretado no cinema por galãs das novelas desde o surgimento da televisão no Brasil. Tarcísio Meira foi o primeiro, e Cauã Reymond, o mais recente. A representação do imperador no meio audiovisual ao longo das décadas é o tema da oficina, passando pelo cinema e pelas telenovelas. O objetivo é fazer uma análise do imaginário relacionado ao personagem histórico, comparando permanências e mudanças. 

Dia 1 
A produção de filmes históricos no Brasil 
O imperador já foi argentino: o filme “Embrujo” (Enrique Susini, 1941) 
“Independência ou morte” e o incentivo aos filmes históricos 

Dia 2 
O imperador se tornou brasileiro: o D. Pedro I de Tarcísio Meira 
O uso das pinturas históricas para criação de verossimilhança 
O Grito do Ipiranga nas telas de cinema (e da TV)  

Dia 3 
O imperador nas telenovelas 
A representação do imperador em “A viagem de Pedro” (Laís Bodanzky, 2021) 
Considerações finais 

Sobre a oficineira  
Olívia Baldissera
 é jornalista e historiadora. É mestre em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde também cursou os bacharelados em Comunicação Social e História, Memória e Imagem. Atualmente pesquisa o filme “Independência ou morte” (Carlos Coimbra, 1972) e a representação de D. Pedro I.