handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

[Palestra]

Cinema, patrimônio e memória coletiva

50 Vagas

a partir de 18 anos

26, 28 e 30.07, das 19h às 22h |  Ao vivo pelo Zoom | Inscrição via Sympla | Gratuita 

(3 encontros de 3h cada)

Semanalmente, o Pontos MIS oferece uma oficina ao vivo pela plataforma Zoom com inscrições pela Sympla. Cada cidade pode inscrever até 50 participantes O link de acesso à aula será enviado automaticamente no e-mail cadastrado na ficha de inscrição, assim como o certificado. 

Esta oficina, ministrada pelo documentarista, professor e pesquisador André Manfrim, aborda as relações entre o fazer cinematográfico e as políticas de preservação, patrimônio e memória. Composta por três encontros, objetiva ajudar profissionais e interessados em políticas de patrimônio a utilizar ferramentas técnicas e estéticas do vídeo e do cinema em seus projetos e atividades. 

O cinema pode tanto servir como registro e divulgação de políticas patrimoniais já instaladas, como oferecer novas ferramentas de registro, produção de acervos ou ressignificação de elementos da memória coletiva presentes no território. A intenção é buscar relações entre cinema e patrimônio arquitetônico; cinema e monumentos; cinema e registro de saberes, cultura e identidade.  

Módulo 1 
Cinema e a produção de imagens da memória coletiva  
No primeiro encontro, será discutido como alguns cineastas e documentaristas abordaram assuntos ligados a políticas de patrimônio e memória coletiva. Serão apresentados trechos de filmes dos realizadores(as) estrangeiros(as) Patrício Guzman, Agnés Varda e Chris Marker e dos(as) brasileiros(as) Anita Leandro, Luis Labaki e Paula Sacchetta.  
 
Módulo 2 
Possibilidades e práticas 
No segundo encontro, serão trabalhadas questões relativas às políticas de patrimônio que ocorrem ou podem ser filmadas nas cidades e territórios dos alunos da oficina. A intenção é pensar como a oficina pode dar apoio instrumental para projetos que já ocorram, ou  
mesmo como desenvolvimento de novas ideias. Os alunos serão convidados a trazer  propostas práticas, que poderão ser o registro das políticas de patrimônio, produção de  banco de imagens, edição de imagens já produzidas etc. 
 
Módulo 3  
Avaliação e encaminhamentos   
No terceiro encontro, faremos um fechamento teórico e prático da oficina, pensando como audiovisual e políticas de patrimônio podem se relacionar. Serão discutidos mais alguns  exemplos da história do cinema que se relacionam com os projetos trazidos pelos alunos e alunas. Faremos também a orientação técnica e instrumental dos projetos audiovisuais que queiram ter seguimento depois da oficina.  

Sobre o professor  
André Manfrim é formado em audiovisual pela ECA USP. Cursa graduação em História na FFLCH USP e é mestrando em Meios e Processos Audiovisuais, também na ECA-USP. Dirigiu e roteirizou a série documental “Habitação social – projetos de um Brasil” (TV Cultura, TV Brasil e Amazon Prime Video). Dirigiu a fotografia da série “Onde nascem as ideias” (Canal Curta!) e do longa-metragem documental “O barato de Iacanga” (Netflix), entre outros projetos. Atualmente, desenvolve a série televisiva “Brasil memória” (ProAC Editais Desenvolvimento de Série 2019). 

*Esta atividade é realizada em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e está vinculada ao projeto Brasil Memória, contemplado com o PROAC Editais Desenvolvimento de Séries - 2019. 

Foto: Arquivo Público do Estado de São Paulo

[MINI BIO OFICINEIRO]

Diversos oficineiros

Christian Saghaard, Kaka, Diaulas Ullysses, Ralph Friedericks, Maria Cecília Amaral, Italo Yuri e Marta Russo.

COMPARTILHE
Assista #misemcasa