handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

No dia 04 de dezembro, sábado, das 11h às 16h, o MIS recebe o lançamento do livro “Viagem pelo fantástico”, de Boris Kossoy, acompanhado de uma exposição de fotos no foyer do Auditório MIS.

Lançado em 1971, “Viagem pelo fantástico”, referência da fotografia brasileira, ganha segunda edição após 50 anos. Considerado como um dos títulos pioneiros latino-americanos, no que hoje se caracteriza como "fotolivro", Boris Kossoy desenvolveu nesta obra a ideia de narrativas fotográficas, que abordam de forma silenciosa múltiplos cenários, histórias, sujeitos e sensações. Em meio aos desafios do Brasil no presente, a obra de Boris Kossoy mostra sua atualidade ao revisitar uma época em que o sistema das artes, no país, passava por intensos questionamentos, tanto no sentido estético quanto político, em similitude aos movimentos artísticos da atualidade. 

Por meio de uma narrativa construída a partir de dez sequências fotográficas, Kossoy faz notar a forte influência que recebe tanto do cinema norte-americano, especialmente o de suspense, quanto do realismo mágico da literatura latino-americana – combinação que o torna um artista bastante genuíno e singular. Inspirado pelo trabalho de Hitchcock e pelos livros de Cortázar, Borges e Garcia Márquez, Kossoy combina o uso do suspense, do trágico, da angústia e da fatalidade, presentes no film noir, com a súbita irrupção do fantástico na realidade cotidiana do espectador, que capta da literatura. Em meio a paisagens urbanas, acrescenta notas do absurdo, trazendo às imagens diferentes camadas, leituras e subjetividades, ao fazer do leitor parte ativa da narrativa que se delineia. Na escolha pela não utilização das legendas, Kossoy permite que o espectador crie seu próprio universo criativo, a partir das proposições e provocações do artista, colocando-o como testemunho do que ocorre em cada história.  

A nova edição da obra traz um caderno especial de textos, Revisitando Viagem pelo Fantástico, que enriquecem a experiência do leitor, contextualizando a vida e a obra de Boris Kossoy, e o situando num rol de artistas que romperam com as esferas institucionais da arte nas décadas anteriores, trazendo novas possibilidades ao mundo da fotografia não documental. Além de professor livre-docente e titular da ECA/USP, o fotógrafo Kossoy circulou ainda jovem pelas áreas da arquitetura e do desenho, trazendo mais multiplicidade à sua obra, que, assim, vê-se fortemente marcada por referências e vivências de toda espécie. Dessa maneira, ao rever um livro que marcou em definitivo a história da fotografia brasileira, criado no contexto de autoritarismo e crise nas artes da década de 1970, encontramos pistas sobre o jogo de sombras e luzes da atualidade e podemos, também, contemplar a estrada criativa de Boris Kossoy, que viria a se tornar um dos maiores fotógrafos do país. 

“Como costuma acontecer a tantas inovações, no começo “Viagem pelo Fantástico” teve pouca repercussão. Muito tempo depois, era uma das maiores e melhores surpresas de fotolivros latino-americanos, uma ave rara em seu contexto e uma peça maior no conjunto da história dos fotolivros, uma obra ainda tão viva e aberta como quando começou sua longa trajetória. A merecida justiça começava a ser feita. Agora o livro é reeditado e continua sua viagem própria por estradas que não se pode conhecer, pois são imprevisíveis. É motivo de alegria para todos nós que o lemos e admiramos, além de ser uma sorte para os que ainda não o fizeram. Não sabem o quanto vão desfrutar do passar de páginas se deixarem livres sua imaginação e suas emoções”, escreve o curador e historiador da arte espanhol Horácio Fernandez em sua apresentação no caderno de textos. 

Sobre o fotógrafo

Boris Kossoy, (1941, São Paulo) é fotógrafo, acadêmico e historiador da fotografia. É doutor pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo e professor livre-docente e titular da ECA-USP. Foi diretor do Museu da Imagem e do Som de São Paulo (1980-1983) e diretor da divisão de pesquisas do Centro Cultural São Paulo (1995-1997). Alguns de seus livros são consideradas obras de referência, assim como o clássico “Hercule Florence, a descoberta isolada da fotografia no Brasil”, livro que ganhou edições no México, Espanha, Alemanha, França, Inglaterra e Estados Unidos. É autor também “Dicionário histórico-fotográfico brasileiro”; “Fotografia e história”; “Realidades e ficções na trama fotográfica”; “Os tempos da fotografia”; “O encanto de Narciso; “O olhar europeu: o negro na iconografia brasileira do século XIX, este último em coautoria com Maria Luiza Tucci Carneiro, entre outras obras. Suas obras fotográficas integram as coleções permanentes do Museum of Modern Art (EUA), Bibliothèque Nationale (França), Centro de la Imagen (México), Museu de Arte de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, entre outras instituições. Em 1984, recebeu a condecoração Chevalier de l' Ordre des Arts et des Lettres do Ministério da Cultura e da Comunicação da França, pelo conjunto de sua obra.  

 

Ficha técnica

Título: Viagem pelo fantástico + Revisitando viagem pelo fantástico 

Autor: Boris Kossoy 

Formato: 21 x 30 cm 

ISBN: 978-65-89200-06-2 

Acabamento: Capa Dura  

Páginas: 96 (+ 56 do caderno “Revisitando viagem pelo fantástico”) 

Preço: R$150 

Editora: IpsisPUB  

Galeria de Fotos