handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

No próximo sábado, 8 de fevereiro, o MIS exibe os filmes Unicórnio e Hilda Hilst pede contato. As sessões acontecem às 19h e 21h no Auditório MIS e têm entrada gratuita.

A exibição dos longas integra a programação de Revelando Hilda Hilst, projeto que ocupa o MIS até o dia 15 de março e apresenta uma exposição da escritora, poeta e dramaturga no ano que se comemora 90 anos do seu nascimento. O projeto também traz uma instalação sonora, Rede Telefonia, de Gabriela Greeb e Mario Ramiro, e diversas leituras poéticas e dramáticas ao longo da exposição.

19h
Unicórnio (Dir. Eduardo Nunes, Brasil, 2018, 122’, 14 anos)

Maria (Barbara Luz), uma menina, está sentada num banco ao lado de seu pai (Zé Carlos Machado). A conversa que eles têm ali conduz a narrativa do filme: acompanhamos a história na rústica casa de campo, onde ela mora com a mãe (Patrícia Pillar), e aguardam a volta deste mesmo pai. A relação entre Maria e a sua mãe muda com a chegada de outro homem (Lee Taylor). As obras Matamoros e O Unicórnio, de Hilda Hilst, serviram de inspiração para o diretor e roteirista Eduardo Nunes escrever e dirigir Unicórnio.

21h

Hilda Hilst pede contato (Dir. Gabriela Greeb, Brasil, 2018, 75’, 12 anos)

Com arquivos pessoais inéditos de som e imagem, depoimentos, encontros e intervenções ficcionais, Hilda Hilst Pede Contato revela a memória e a presença da escritora, poeta e dramaturga na Casa do Sol, chácara onde vivia em Campinas. A voz de Hilda Hilst em gravações realizadas entre 1974 e 1979, em busca de contato com o além, é o fio condutor do filme, que se oferece ao público como o canal de comunicação tão almejado pela escritora, considerada pela crítica especializada uma das mais importantes vozes da língua portuguesa do século XX.

Sobre Revelando Hilda Hilst

Com curadoria do artista visual e jornalista Jurandy Valença e produção da Caboclas Produções, o projeto apresenta uma exposição de retratos de Hilda, registradas pelos fotógrafos Fernando Lemos, Eduardo Simões, Gal Oppido e Eder Chiodetto, em períodos diferentes; desenhos de sua autoria nunca antes exibidos em público, além de quinze edições originais dos livros de Hilda, com capas de artistas como Darcy Penteado, Clovis Graciano, Wesley Duke Lee, Tomie Ohtake, Jaguar, Millôr Fernandes, Maria Bonomi e Arcângelo Ianelli, entre outros. A mostra se completa com a instalação sonora Rede Telefonia, de Gabriela Greeb e Mario Ramiro, na qual é possível ouvir a voz da autora por intermédio de gravações originais realizadas na década de 1970, quando ela tentava se comunicar com o além. A exposição tem entrada gratuita e fica em cartaz no MIS até 15 de março.

Assista #misemcasa