handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

O Bate-papo de Cinema Pontos MIS realiza, aos sábados, exibições de filmes seguidos de debates ao vivo no YouTube do Museu, buscando trazer membros da equipe dos filmes, pesquisadores da área, críticos de cinema, jornalistas e agentes cineclubistas para discutir sobre a obra e apresentar curiosidades da produção. 

Esta edição, que acontece em parceria com a Vitrine Filmes, apresenta “Diz a ela que me viu chorar” (dir. Maíra Buhler, Brasil, 2019, 83 min, 16 anos), documentário que fala sobre moradores de um hotel no centro de São Paulo que vivem amores tumultuados por sua condição vulnerável e pelo uso abusivo de crack. O filme pode ser acessado gratuitamente por meio deste link (das 11h do dia 21.10 até 23.10) e o bate-papo ao vivo sobre o filme acontece no canal do MIS no YouTube e conta com a participação da diretora do filme Maíra Buhler e da diretora e roteirista Giuliana Monteiro na mediação.  

Sobre o filme
Diz a ela que me viu chorar (dir. Maíra Buhler, Documentário, Brasil, 2019, 1h23min) 
 
Moradores de um hotel no centro de São Paulo vivem amores tumultuados por sua condição vulnerável e pelo uso abusivo de crack. O edifício é parte de um programa municipal de redução de danos prestes a ser extinto. Entre escadas circulares, quartos decorados, viagens de elevador e ao som das músicas do rádio, os personagens são atravessados pelo espectro da solidão. O filme retrata um grupo de pessoas reunidas por laços fortes em frágil abrigo. 

Sobre a convidada
Maíra Bühler é diretora e roteirista. Seu último filme, o longa-metragem “Diz a ela que me viu chorar” (2019), venceu, entre outros, o Prêmio de melhor filme na mostra competitiva internacional Olhar de Cinema; o Prêmio Especial do Júri no Festival de Havana; o Library Prize no Cinéma Du Réel; e o de Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema do Uruguai. Em 2014, dirigiu o filme “A vida privada dos hipopótamos” (2014), que estreou no FiD – Festival de Marseille – e ganhou Prêmio de Melhor Montagem no Festival do Rio e Prêmio da Crítica no CineCeará. Em 2011, dirigiu “Ela sonhou que eu morri” (2011), vencedor do prêmio de Melhor Direção no Festival de Paulínia e no FICVIÑA, no Chile. Em 2007, dirigiu o filme “Elevado 3.5” (2007), ganhador do prêmio de Melhor Filme longa-metragem no É Tudo Verdade. Na televisão, criou e dirigiu a série de 13 episódios “Conversa de salão” (2011), na GNT, e roteirizou e codirigiu com Matias Mariani o telefilme “Fios de ovos” (2011). 

Sobre a debatedora 

Giuliana Monteiro é roteirista e diretora nascida em São Paulo, mestre em produção de filmes pela faculdade de Nova York Tisch School of the Arts, onde dirigiu e roteirizou diferentes projetos audiovisuais. Atualmente, trabalha em dois filmes, o seu primeiro longa-metragem ficcional, “Estrada para Livramento”, que tem o apoio do fundo Spike Lee para desenvolvimento e da fundação San Francisco Film Society, e também na finalização do longa-metragem documental “Bento”.  

SOBRE O #MISEMCASA
A campanha #MISemCASA traz conteúdos em diferentes formatos em todas as plataformas digitais do MIS. A ação acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por conta da orientação do Centro de Contingência do Covid-19 – que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham seu funcionamento suspenso temporariamente. Conheça a ação #culturaemcasa: cultura.sp.gov.br/culturaemcasa/.

O MIS agradece aos patrocinadores, apoiadores e patronos da programação, que também apoiam a iniciativa digital #MISemCASA: Kapitalo Investimentos (patrocínio), Cielo (patrocínio), Vivo (patrocínio), TozziniFreire Advogados (apoio institucional), Bain & Company (apoio institucional), Telhanorte (apoio operacional), Itaú (patrono) e e Lefosse (patrono).

Galeria de Fotos

Comprar Ingressos